quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Celibato


Hoje Estudando o livro de História vi, uma parte explicando que a Igreja só tinha imposto o Celibato para  seus membros para que não tivessem herdeiros e assim podessem ameaçar os patrimônios da Igreja, poís só os filhos legitimos podiam ter parte da herança naquela época. Mais não é que faz sentido. Os céticos são realmentes inteligentes para conseguirem acusações. Só que de um ponto de vista teólogico ( que raramente observam) o celibato foi instituido em raízes apostólicas. Neste artigo não cabe a mim julgar se a informação do dito livro seja verdade, mais mostrar as raízes biblicas do celibato sacerdotal. A seguir eu retirei um texto do Site Veritatis Esplendor para que Compreendam melhor essa história:
"A praxe do celibato sacerdotal tem suas raízes em 1Cor 7, 32-34, texto em que São Paulo afirmava ser a vida celibatária um estado em que mais facilmente se pode servir ao Senhor, sem divisões e sem solicitudes supérfluas. Em 1Tm 3,2 o Apóstolo recomenda que o ministro de Deus "seja marido de uma só esposa"; com isto São Paulo queria inculcar que no século I da nossa era, quando as comunidades cristãs constavam de muitos casados e adultos recém-convertidos, não se escolhesse para o ministério algum homem casado em segundas núpcias; estas, com efeito, eram geralmente desaconselhadas pela Igreja antiga por parecerem uma expressão de incontin6encia.
Vê-se, pois, que desde os tempos apostólicos a vida una era recomendada e praticada pelos ministros do Senhor (tenhamos em vista, por exemplo, o caso de São Paulo e o do próprio Cristo).
No Ocidente a primeira legislação restritiva ao casamento de clérigos se deve ao Concílio de Elvira (Espanha) por volta do ano 300; proibia aos Bispos, sacerdotes e diáconos, sob pena de degradação, o uso do matrimônio e o desejo de ter prole (cânon 33). Esta determinação, que era regional, em menos de um século estava em vigor (às vezes sob forma de conselho apenas) em todo o Ocidente. A fórmula definitiva de tal disciplina foi promulgada pelo Concílio Ecumênico de Latrão I em 1123: a todos os clérigos, a partir do subdiaconato, foi prescrito o celibato; em conseqüência, o matrimônio contraído por algum eclesiástico depois da respectiva ordenação era tido como inválido. O Concílio de Trento (1545-1563) reafirmou tal determinação."
Pode-se ver a partir do texto acima que a doutrina do celibato (mesmo que seja uma norma pastoral e não um dogma) tem raízes biblica porém não é um compromisso forçado, foi um conselho dado no evangelho, por isso muitos sacerdotes são celibatários, é uma escolha para que se possa melhor servir ao Senhor Jesus Cristo. O Próprio Cristo teve uma vida Celibatária.
È ìsso Pessoal brevemente tocarei no assunto mais vezes. Dominus Vobiscum!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...